A COMUNIDADE CIENTÍFICA TEM QUE SE VULGARIZAR

Novo artigo da Drª Teresa Damásio, administradora do Grupo Ensinus disponível na íntegra.

Veja aqui

 Quando pensamos na Ciência achamos que só uma elite é que pode e deve ter acesso a esta quando é precisamente o oposto.

A comunidade científica tem vindo a crescer. Há programas escolares e académicos que têm promovido a massificação da cultura científica através do envolvimento de toda a comunidade. Desde o ensino básico [1][2]que temos as aprendizagens gizadas em torno da difusão de diferentes áreas que visam estimular a inovação, a criatividade e o pensamento crítico. Mas, é quando chegamos ao ensino superior que encontramos mais obstáculos a superar.

A priori não deveria ser assim. A existência de programas de graduação, de mestrado e de doutoramento deveria tornar tudo mais simples e as atividades de investigação deveriam ser populares e de fácil acesso. No entanto, os dados dizem-nos que não é assim e apesar da existência da Fundação para a Ciência e Tecnologia[3],entre outras das quais destaco a Fundação Calouste Gulbenkian[4] e a Fundação Champalimaud[5] que visa precisamente apoiar os investigadores os números de mestres e doutores ainda não estão em linha com o resto da União Europeia e muito menos com os dos Estados Unidos e do Japão.

A nível europeu existem diversas organizações como o European Research Council [6] que fomenta a educação e a cultura científica europeia, mas mesmo assim o número de investigadores portugueses envolvidos não é satisfatório.

É certo que tem sido feito um esforço enorme através de instrumentos como a Plataforma Ciência Viate, entre outros, que visa uma gestão eficaz do curriculum científico, mas mesmo assim ainda não conseguimos massificar a educação e a cultura científica.

É preciso ir mais além e reformular a forma como se pensa o ensino superior e a ligação que existe entre a instituição de ensino e as atividades de investigação que devem começar a ser promovidas desde o primeiro dia de aulas na universidade de forma transversal em todas as áreas científicas. É essencial ter presente que a investigação não é um exclusivo das científicas exatas e que todos podem e devem participar em atividades de educação e cultura cientifica.

Se este propósito for assumido pela sociedade no seu todo, conseguiremos que a ciência fique ao alcance de todos e que o trabalho que é iniciado no ensino básico e secundário tenha continuidade no ensino superior.

 [1] https://ecoescolas.abae.pt/ “Eco-Escolas é um programa internacional da “Foundation for Environmental Education”, desenvolvido em Portugal desde 1996 pela ABAE. Pretende encorajar ações e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pela escola, no âmbito da Educação Ambiental para a Sustentabilidade.”
[2] https://www.cienciaviva.pt/ Programa Ciência Viva  – “A Ciência Viva nasceu em Portugal em 1996 por iniciativa de José Mariano Gago, então Ministro da Ciência e da Tecnologia, como um programa governamental dedicado à promoção da educação e da cultura científica.”
[3] https://www.fct.pt/fct/ A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) é a agência pública nacional de apoio à investigação em ciência, tecnologia e inovação, em todas as áreas do conhecimento. Tutelada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, a FCT iniciou atividades em agosto de 1997 sucedendo à Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica (JNICT). Desde 1 de março de 2012, a FCT sucede à UMIC – Agência para a Sociedade do Conhecimento, I.P. na responsabilidade pela coordenação das políticas públicas para a Sociedade da Informação em Portugal. Em 1 de outubro de 2013, a FCT assumiu as atribuições e competências da Fundação para a Computação Científica Nacional (FCCN).

[4] https://gulbenkian.pt/ “De nacionalidade Portuguesa e instituída em perpetuidade, a Fundação tem como propósito fundamental melhorar a qualidade de vida das pessoas através da arte, da beneficência, da ciência e da educação. A Fundação desenvolve as suas atividades a partir da sua sede em Lisboa e das delegações em Paris e em Londres, tendo também intervenção através de apoios concedidos desde Portugal nos PALOP e Timor-Leste bem como nos países com Comunidades Arménias.”
[5] https://www.fchampalimaud.org/pt-pt “A Fundação Champalimaud faz investigação em áreas de ponta e tem como prioridade estimular descobertas que beneficiem as pessoas, bem como patrocinar novos padrões de conhecimento.”
[6] https://erc.europa.eu/ “The ERC’s mission is to encourage the highest quality research in Europe through competitive funding and to support investigator-driven frontier research across all fields, on the basis of scientific excellence.

Outras Notícias

Certificado Acreditação – Erasmus +

É com bastante orgulho e satisfação que o Externato Marquês de Pombal – Grupo Ensinus e Ensinus Estabelecimentos de Ensino Particulares, anuncia que recebeu o Certificado Acreditação Erasmus +. Juntos Somos Mais Fortes!

EAC no jornal Rhein-Zeitung

O jornal Rhein-Zeitung partilhou um artigo sobre o Projeto Erasmus + onde o Externato Marquês de Pombal se encontra neste momento na Alemanha. Este projeto, Shoot and Load, têm como objetivo que os alunos das escolas envolventes trabalhem em conjunto para se tornarem...

Futurália 2022

Estivemos presentes na Futurália 2022! Queremos agradecer a todos os que nos visitaram para descobrir mais sobre a EMP. Porque não há dois futuros iguais, escolhe quem acredita em ti! Se queres saber mais sobre a nossa oferta formativa ou se tiveres alguma dúvida, não...

TOGETHER FOR UKRAINE

25/26/27 MARÇO Campanha de angariação de apoio monetário aos 100 Refugiados acolhidos pelo GRUPO ENSINUS, nas Instalações da Escola de Comércio de Lisboa, nos dias 26 e 27 de Março, precedente ao encaminhamento para as diversas famílias de apoio no processo de longo...

ELEIÇÃO PARA OS ÓRGÃOS SOCIAIS DA AEEP

Decorreu, hoje, a Reunião da Direção da AEEP – Associação de Estabelecimentos de Ensino Particular.Em paralelo deu-se lugar ao respetivo momento da Eleição para os Órgãos Sociais da AEEP, para o Triénio 2022-2025. A Senhora Administradora do Grupo Ensinus e Membro da...

×

Olá!

Contacte-nos pelo WhatsApp

× 961504242